• (11) 4521-9494 / 97647-5816 (TIM) / 96650-4335 (CLARO)

Crescimento craniofacial e distúrbios respiratórios

crânio de um bebê
crânio de um bebê
crânio de um adulto
crânio de um adulto

Dra. Denise Fernandes Barbosa

No 1° ano de vida da criança, o crânio já apresenta 90% da capacidade total de seu crescimento, que se completa aos 15 anos, aproximadamente. A face do recém-nascido ocupa a menor parte de toda a cabeça; ao mesmo tempo, a calota craniana está próxima do seu tamanho final. Os 80% do crescimento facial se darão até 6 a 7 anos de idade, e os 20% restantes, até a idade adulta (ver figuras).
A região nasal é quase que, literalmente, a pedra fundamental da arquitetura facial, e todas as partes envolvidas dependem dela para que possam ser posicionadas e estabilizadas. O crescimento e desenvolvimento dessas estruturas dependem, além dos fatores genéticos, também dos fatores ambientais.
A respiração tem influência direta no crescimento crâniofacial. Se a criança é respiradora bucal, pode apresentar como consequência deformidades resultantes dessa função alterada, levando a alterações como alongamento da face, na forma do queixo e do céu da boca, provocando atresia dos maxilares e posições inadequadas dos dentes. Leia Mais…