• (11) 4521-9494 / 97647-5816 (TIM) / 96650-4335 (CLARO)

A importância da prevenção ou tratamento dos distúrbios do sono

Denise Fernandes Barbosa
Denise Fernandes Barbosa

Engana-se quem pensa que o sono é perda de tempo. Ele é essencial à vida. Muitas descobertas científicas foram feitas em 2014 para melhor compreender este assunto. Segundo a Academia Americana de Medicina do Sono, muitos avanços nas pesquisas em sono foram realizados a partir desse ano. Aqui estão apenas três dos nove maiores avanços do sono, e por que esses avanços são tão importantes para a qualidade de vida.

Cérebros encolhidos estão associados ao sono reduzido. O cérebro tem uma redução natural com o envelhecimento, mas entre pessoas que relataram sono de má qualidade, este ritmo pode ser mais rápido, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Oxford. Os pesquisadores encontraram que a diminuição da qualidade do sono interfere no volume do cérebro, reduzindo-o.

Nosso cérebro é capaz de tomar decisões durante o sono. Apesar de estarmos de olhos fechados e alheios ao mundo real durante o sono, nosso cérebro está a toda atividade, processando as informações, limpando algumas delas e inclusive tomando decisões. Uma equipe de pesquisadores da França e do Reino Unido demonstrou que partes do nosso cérebro estão em alerta ao que está acontecendo ao nosso redor enquanto dormimos.

Privação de sono pode levar – e acelerar – a demência. Um sono com qualidade promove melhora na memória e aprendizagem, mas uma série de estudos desse ano mostrou que a falta ou sono de má qualidade pode contribuir para um maior risco de demência ou acelerar o aparecimento da doença. Em todos estes casos, os pesquisadores ressaltam que a melhor ação a ser tomada é garantir noites tranquilas para adultos mais velhos, praticando uma boa higiene do sono. Assim como a diminuição natural de nosso cérebro pode ser acelerada para o desenvolvimento da demência, as tomada de decisões importantes podem ser prejudicadas nas pessoas com distúrbios do sono, portanto prevenir e/ou tratar parecem ser as melhores alternativas.

Fonte: http://www.huffingtonpost.com/